Persistem águas anomalamente frias no setor leste do Pacífico Equatorial

 Cachoeira Paulista, 30 de agosto de 2013


 A previsão por consenso elaborada pelo CPTEC, INMET e FUNCEME, com a participação do CEMADEN, para o trimestre SON/2013 indicou uma distribuição de 45%, 30% e 25% de probabilidade de ocorrência de precipitação nas categorias abaixo, normal e acima da normal climatológica, respectivamente, para o Paraná e Santa Catarina (com exceção da faixa litorânea), o sul do Mato Grosso do Sul e o sudoeste de São Paulo. Para o norte do Amazonas, noroeste do Pará, Roraima e Amapá, a previsão por consenso indicou uma distribuição de 25%, 35% e 40% de probabilidade de ocorrência de precipitação nas categorias abaixo, normal e acima da normal climatológica do período, respectivamente. Para as demais áreas do Brasil, a previsão indicou comportamento climatológico (igual probabilidade para as três categorias). No decorrer do trimestre SON/2013, a previsão indica temperaturas dentro da normalidade para o centro-sul do Brasil e entre normal a acima da normal climatológica para as demais áreas do País. Ressalta-se que ainda podem ocorrer incursões de massas de ar frio mais intensas no início deste trimestre, podendo favorecer o acentuado declínio das temperaturas no centro-sul do Brasil.

Os campos oceânicos indicaram a persistência de águas superficiais mais frias que o normal no setor leste do Oceano Pacífico Equatorial, pelo terceiro mês consecutivo. Esta condição pode ter sido favorecida pela formação de uma situação de bloqueio atmosférico na região do Oceano Pacífico Sul, estabelecida desde maio de 2013. Com isso, ocorreu o acoplamento entre o oceano e a atmosfera, que vem contribuindo para a manutenção dessas águas anomalamente frias. Os modelos dinâmicos de previsão de temperatura da superfície dos oceanos indicam a persistência dessas anomalias ligeiramente negativas durante o trimestre SON/2013. Na região do Oceano Atlântico Norte, as águas superficiais devem continuar mais quentes que o normal.

O destaque do mês de julho e início de agosto de 2013 foi o aumento das chuvas nas Regiões Norte e Nordeste e a diminuição na Região Sul do Brasil, em comparação com junho passado. No início deste mês, a formação de aglomerados de nuvens convectivas contribuiu para o excesso de chuva ao longo da faixa leste da Região Nordeste, que ainda se encontra no seu período mais chuvoso, em particular entre o Rio Grande do Norte e Alagoas, causando alagamentos em várias cidades litorâneas. Os acumulados diários de chuva excederam 100 mm nas cidades de Natal-RN (120 mm), no dia 02; Maceió-AL (145 mm) e João Pessoa-PB (123,6 mm), no dia 03. A precipitação ficou abaixo da média histórica no Rio Grande do Sul, no oeste de Santa Catarina e no sudoeste do Paraná, onde as anomalias negativas variaram entre 25 mm e 200 mm. Outro destaque foi a incursão de uma intensa massa de ar frio durante a segunda quinzena de julho, com acentuado declínio das temperaturas e ocorrência de neve em cidades serranas da Região Sul.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br.

Atualizado em 30/08/2013 16:05

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco