Tendência favorável às chuvas na Região Norte do Brasil

Cachoeira Paulista, 30 de outubro de 2013

 


A previsão por consenso elaborada pelo CPTEC, INMET e FUNCEME, com a participação do CEMADEN, para o trimestre novembro-dezembro-janeiro de 2013/2014 (NDJ/2014), indicou uma distribuição de probabilidades de 40%, 35% e 25% de ocorrência de total pluviométrico trimestral, respectivamente, nas categorias acima, normal e abaixo da faixa climatológica do período para o norte da Região Norte. Esta previsão é justificada principalmente pela condição de águas mais aquecidas na região tropical do Atlântico Norte. Durante este trimestre, as chuvas podem se situar entre as categorias normal (40%) e acima da normal (35%) na área mais central das Regiões Centro-oeste e Sudeste, assim como para uma  faixa mais estreita no leste da Região Sul. Para o oeste da Região Sul, a previsão por consenso indica uma distribuição de 25%, 40% e 35% de probabilidade de ocorrência de precipitação nas categorias acima, normal e abaixo da normal climatológica para este período, respectivamente. A maioria dos modelos de previsão climática também sinaliza a persistência da situação de estiagem no semiárido do Nordeste durante a pré-estação chuvosa (NDJ/2014), com distribuição de probabilidades iguais a 25%, 35% e 40% de ocorrência de precipitação nas categorias acima, normal e abaixo da normal climatológica, respectivamente. Para as demais áreas do Brasil, a previsão indicou comportamento climatológico, com igual probabilidade para as três categorias.

No decorrer do trimestre NDJ/2014, a previsão indicou temperaturas dentro da normalidade para o centro-sul e extremo norte do Brasil e entre normal a acima da normal climatológica para as demais áreas do País.

O padrão de neutralidade em relação ao fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) ainda poderá persistir pelo menos até o início da temporada do verão 2013/2014, o que aumenta o grau de incerteza das previsões, em particular no centro-sul do Brasil. Ressalta-se que este atual cenário de transição no Oceano Pacífico Equatorial, tornam-se ainda mais relevantes as anomalias de temperatura das águas superficiais do Oceano Atlântico.

É importante mencionar ainda que, no decorrer do trimestre julho-agosto-setembro (JAS/2013), a persistência de chuvas acima da média sobre a região da Indonésia contribuiu para o estabelecimento de teleconexões atmosféricas, as quais favoreceram a manutenção da circulação anômala sobre o Atlântico Sul que foi favorável ao excesso de precipitação pluviométrica no leste do Nordeste e da Região Sul.

Dessa forma, persistiu o excesso de chuva no leste de Santa Catarina e no nordeste do Rio Grande do Sul. Na cidade serrana de São Joaquim-SC, a chuva acumulada no trimestre JAS/2013 totalizou 713,7 mm (i.e. 35,3% acima do valor climatológico para este período). Durante a primeira quinzena de outubro de 2013, destacou-se o excesso de chuva em parte do leste do Nordeste. Nos dias 12 e 13, o acumulado pluviométrico em Maceió-AL foi de 143 mm, o que correspondeu a 94,5% da climatologia para o mês de outubro.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br.

 

Atualizado em 01/11/2013 13:13

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco