Persistem condições de neutralidade no Pacífico Equatorial

Cachoeira Paulista, 22 de novembro de 2013

 


A persistência do padrão de neutralidade em relação ao fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS), em conjunto com as águas mais frias que o normal adjacente à costa oeste da América do Sul, continua favorecendo o aumento das chuvas no norte da América do Sul, no decorrer dos próximos meses, embora também aumente o grau de incerteza das previsões climáticas, em particular sobre o centro-sul do Brasil. Por outro lado, a manutenção de águas anomalamente aquecidas na região do Atlântico Norte e de ventos anomalamente de sul na faixa equatorial deste oceano, entre outros fatores, ao mesmo tempo em que contribui para o excesso de chuva no norte da América do Sul, também favorece a diminuição das chuvas sobre o norte da Região Nordeste durante a pré-estação chuvosa. É importante ressaltar que o posicionamento de sistemas típicos dos meses de verão, associados com a circulação de verão na alta troposfera, pode contribuir para aumentar a variabilidade temporal e espacial das chuvas sobre o norte do Nordeste, como foi observado no início deste mês de novembro.

A previsão por consenso elaborada pelo CPTEC, INMET e FUNCEME, com a participação do CEMADEN, para o trimestre dezembro-janeiro-fevereiro de 2013/2014 (DJF/2014), indicou maior probabilidade de ocorrência de totais pluviométricos no trimestre, para o norte da Região Norte, na categoria acima da faixa normal climatológica (40%) e distribuição de probabilidades igual a 35% e 25% para as categorias normal e abaixo da faixa normal, respectivamente. Para o norte da Região Nordeste, a previsão por consenso atribuiu a seguinte distribuição de probabilidades: 25%, 40% e 35% das chuvas situarem-se entre as categorias acima, normal e abaixo da faixa normal para este período, respectivamente.  Para o oeste da Região Sul, a maioria dos modelos de previsão climática indica uma distribuição de probabilidades igual a 25%, 45% e 30% de ocorrência de precipitação nas categorias acima, normal e abaixo da normal climatológica, respectivamente, enquanto que, para uma faixa no leste dessa Região, a distribuição de probabilidades é igual a 30%, 45% e 25% para estas mesmas categorias. Para as demais áreas do Brasil, a previsão indicou comportamento climatológico, com igual probabilidade para as três categorias.

No decorrer do trimestre DJF/2014, a previsão indicou temperaturas entre normal a acima da normal climatológica para a Região Nordeste do Brasil e dentro da normalidade para as demais áreas do País.

No decorrer de outubro de 2013, a maior intensidade dos ventos de sudeste na região do Atlântico Sul, em conjunto com a passagem de sistemas frontais, contribuiu para o excesso de chuva em parte do setor leste da Região Nordeste, com destaque para o acumulado diário em Salvador-BA (137,6 mm, no dia 10), que excedeu a climatologia para todo o mês de outubro (i.e. 114,9 mm). Na Região Sul, a atividade frontal favoreceu o aumento da chuva e a ocorrência de precipitação na forma de granizo, além de ventos fortes em várias localidades. No aeroporto de Maringá-PR, a velocidade do vento atingiu 110 Km/h no dia 03, e, no dia seguinte, registraram-se 85,4 mm de chuva na estação convencional do INMET.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br.






Atualizado em 09/12/2013 09:21

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco