Chuvas podem continuar escassas sobre o semiárido do Nordeste

Cachoeira Paulista, 20 de dezembro de 2013

A temperatura das águas superficiais continuou acima da média na região do Atlântico Norte e próxima a ligeiramente abaixo da média no Atlântico Sul. Esta configuração no campo de anomalias de TSM, aliada aos ventos anomalamente de sul na faixa equatorial, pode favorecer a diminuição das chuvas sobre o norte da Região Nordeste durante o próximo trimestre. Neste último mês, no entanto, foi observado certo resfriamento do Atlântico Tropical Norte e anomalias negativas de altura geopotencial sobre a Groenlândia, que são fatores concorrentes para uma possível reversão dos atuais indicadores de seca sobre a Região Nordeste, no decorrer da próxima estação chuvosa.



A previsão por consenso para o trimestre janeiro a março de 2014 (JFM/2014) indicou maior probabilidade de ocorrência de totais pluviométricos na categoria acima da faixa normal climatológica para o norte da Região Norte, com distribuição de probabilidades 40%, 35% e 25% para as categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal, respectivamente. No norte da Região Nordeste, a previsão por consenso manteve a seguinte distribuição de probabilidades: 25%, 40% e 35% das chuvas situarem-se entre as categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal para este período, respectivamente. Ressalta-se que, para o trimestre em questão, o posicionamento de sistemas típicos dos meses de verão, associados com a circulação de verão na alta troposfera, ainda pode contribuir para aumentar a irregularidade na distribuição espacial e temporal das anomalias de precipitação sobre o norte da Região Nordeste. Para o oeste da Região Sul, a maioria dos modelos de previsão climática continua a indicar maior probabilidade de ocorrência de totais pluviométricos no período em torno da faixa normal, com a distribuição de probabilidades atribuída de 25%, 40% e 35% das chuvas situarem-se nas categorias acima, dentro e abaixo da faixa normal climatológica, respectivamente. Para as demais áreas do Brasil, a previsão indicou comportamento climatológico, com igual probabilidade para as três categorias.


No decorrer do referido trimestre, a previsão por consenso também indicou temperaturas em torno da normal climatológica para todo o País.


Em novembro, o maior destaque foi o posicionamento dos vórtices ciclônicos em altos níveis no sentido de aumentar a ocorrência de chuvas em grande parte da Região Nordeste, interrompendo um longo período de estiagem. Por outro lado, a formação de episódios da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) ocasionou anomalias positivas de precipitação apenas em áreas isoladas das Regiões Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Durante a primeira quinzena de dezembro, a formação de um episódio bem configurado de ZCAS contribuiu para o excesso de chuva principalmente no norte de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, ocasionando transtornos à população. Outro destaque, no início de dezembro, foi formação de um intenso aglomerado de nuvens convectivas no centro-norte da Bahia, que proporcionou, em poucas horas, grande volume de chuva no município de Lajedinho.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br.
 



Atualizado em 02/01/2014 16:25

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco