Eventos extremos de chuva ainda podem ocorrer no Nordeste
A previsão climática de consenso para o trimestre de agosto a outubro de 2010 indica maior probabilidade de chuvas acima da média no norte da Região Norte e abaixo da média no sul da Região Sul do Brasil. Nas demais áreas, permanece a previsão de chuvas em torno da média histórica ressaltando-se que o leste do Nordeste deve continuar apresentando grande irregularidade na distribuição temporal e espacial das chuvas, ainda com possibilidade de episódios extremos intercalados por períodos de estiagem.

A previsão também aponta uma maior probabilidade de ocorrência de temperaturas superiores à normal climatológica na maior parte do Brasil, com exceção da Região Sul e do extremo norte do país, onde estão sendo previstos valores em torno da normal climatológica.

O maior destaque do mês de junho foram as chuvas intensas observadas no setor leste dos Estados de Pernambuco e Alagoas e que resultaram na ocorrência de inundações em vários municípios, com danos materiais e ambientais, perda de vidas e grandes prejuízos econômicos e sociais. De modo geral, estas chuvas concentraram-se no período de 15 a 19 de junho, com destaque para os totais diários registrados no dia 18 nas cidades de Recife-PE (149,7 mm) e Caruaru-PE (136,8 mm). Ressaltam-se, também, os 187,8 mm de chuva verificados em Maceió-AL, no início de junho. Nestas áreas, os totais mensais excederam a média histórica em até 300 mm. As chuvas também superaram à média histórica nos setores central do Maranhão, Piauí e Paraíba, no sudoeste do Ceará, sul do Rio Grande do Norte e em Sergipe. Por outro lado, choveu abaixo da normal climatológica, em até 100 mm na faixa litorânea da Bahia e no nordeste do Rio Grande do Norte.

A fase fria do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) denominado de La Niña continua se desenvolvendo na faixa equatorial do Oceano Pacífico. Os sinais desse fenômeno ainda não estão bem estabelecidos nos campos de vento próximo à superfície e Pressão ao Nível do Mar (PNM), embora se observe a intensificação do sistema de alta pressão semipermanente do Pacífico Sudeste. A maioria dos modelos de previsão climática indica o estabelecimento do fenômeno La Niña no decorrer do trimestre agosto, setembro e outubro de 2010. Na região do Oceano Atlântico Tropical Sul, destacou-se a diminuição das anomalias de Temperatura da Superfície do Mar (TSM) próximo à costa oeste da África e adjacente à costa sudeste da América do Sul, em comparação com maio passado.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil podem ser encontradas em http://infoclima1.cptec.inpe.br . A definição dos termos meteorológicos e dos sistemas sinóticos mencionados no texto pode ser encontrada em http://www7.cptec.inpe.br/glossario.
Atualizado em 22/07/2010 15:30

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco