Fenômeno El Niño segue em evolução no Pacífico Equatorial

Os padrões oceânicos e atmosféricos globais continuam indicando uma situação de transição entre as fases fria e quente do Fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) na região do Pacífico Equatorial. Contudo, a maioria dos modelos de previsão climática já sinaliza o possível desenvolvimento de condições de El Niño no decorrer do trimestre que inicia em julho e termina em setembro de 2012 (JAS/2012). Por esta razão, a previsão de consenso elaborada pelo CPTEC/INPE em conjunto com o INMET e os centros estaduais de Meteorologia indica maior probabilidade de chuvas na categoria abaixo da normal climatológica (40%) para o norte da Região Norte e entre as categorias normal (40%) e abaixo da normal (35%) para um faixa mais estreita no leste da Região Nordeste, que se encontra no final do período chuvoso. Numa faixa central que engloba o sul das Regiões Centro-Oeste e Sudeste e o norte da Região Sul, a previsão aponta uma maior probabilidade de ocorrência de chuvas na categoria normal (40%), seguida pela categoria acima da normal climatológica (35%). Nas demais áreas do País, a distribuição espacial das chuvas tem igual probabilidade nas três categorias (abaixo, normal e acima da normal climatológica), inclusive para o Rio Grande do Sul.

As temperaturas podem variar entre as categorias normal a acima da normal em parte das Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil, em função de mudanças associadas ao possível desenvolvimento de condições de El Niño no decorrer do trimestre JAS/2012. Para o centro-sul do País, a previsão de temperatura indica condições típicas de inverno, podendo, em alguns períodos, ocorrer acentuado declínio das temperaturas devido às incursões de massas de ar frio, assim como episódios de geada.

O trimestre março abril e maio de 2012 terminou com acentuado déficit de precipitação ao longo da costa norte do Brasil, estendendo-se desde o leste do Amapá até o norte da Região Nordeste. Nesta área, a falta de chuva foi associada principalmente ao deslocamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) ao norte de sua posição climatológica, forçada, localmente, pelas condições de ligeiro resfriamento no Atlântico Tropical e, remotamente, pelo fenômeno ENOS e pelas oscilações intrassazonais. Durante maio, houve uma diminuição do déficit pluviométrico na região central do Brasil, em particular no sul do Mato Grosso e em grande parte de Minas Gerais, Rio de janeiro e Espírito Santo.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br. As definições dos termos meteorológicos e dos sistemas sinóticos mencionados no texto podem ser encontradas em http://www7.cptec.inpe.br/glossario.

Atualizado em 22/06/2012 14:05

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco