Mantida perspectivas de déficit de chuva para o semiárido nordestino

Cachoeira Paulista, 21 de março de 2013


  A previsão por consenso elaborada pelo CPTEC/INPE em conjunto com o INMET e os centros estaduais de Meteorologia indica uma maior probabilidade prevista de chuva nas categorias normal (35%) e abaixo da normal (35%), seguidas pela probabilidade de 30% na categoria acima da faixa normal para o extremo leste do Nordeste, durante o trimestre abril a junho de 2013 (AMJ/2013). O referido trimestre corresponde ao período mais chuvoso na zona da mata nordestina. Para grande parte da região semiárida e norte do Nordeste, a categoria mais provável ainda é de chuvas abaixo da faixa normal (40%), seguida pela probabilidade de 35% de ocorrência de chuvas na categoria normal e 25% de probabilidade na categoria acima da normal. Na grande área central do Brasil e também para a Região Sul, a previsão indica o padrão climatológico, com igual probabilidade de chuva para as três categorias (abaixo da normal, normal e acima da normal). Para o extremo norte da Região Norte, a previsão indica 40% de probabilidade de ocorrência de chuvas acima da faixa normal, 35% de probabilidade de ocorrência de chuvas na categoria normal e 25% na categoria abaixo da normal.

As previsões para as Regiões Norte e Nordeste do Brasil são justificadas em função do aquecimento das águas do Atlântico Tropical Norte e condições variando entre normalidade e ligeiramente mais frias do que o normal no Atlântico Tropical Sul. Este padrão favorece a ocorrência de chuvas sobre a região oceânica mais aquecida (Atlântico Norte) e região continental adjacente (norte da América do Sul, incluindo o extremo norte do Brasil). Em contrapartida, na região oceânica mais arrefecida (Atlântico Sul) e proximidades (nordeste da América do Sul), a tendência é de inibição das chuvas.

No trimestre AMJ/2013, as temperaturas são previstas entre as categorias normal e acima da normal climatológica para a Região Nordeste. Nas demais áreas do País, a previsão indica que as temperaturas podem se situar em torno da faixa normal. Contudo, incursões mais intensas de massas de ar frio são esperadas sobre o centro-sul do Brasil no decorrer deste trimestre, bem como a ocorrência de episódios de friagem no oeste da Região Centro-Oeste e sul da Região Norte.

Alguns modelos de previsão climática sinalizaram a tendência de mudança de condições de  resfriamento para um ligeiro aquecimento das águas equatoriais do Oceano Pacífico a partir de meados de 2013. Esta tendência seria consistente com o deslocamento para leste das anomalias positivas da temperatura das águas subsuperficiais e com o surgimento de anomalias positivas nas camadas mais superficiais do setor leste deste oceano, notados no decorrer de fevereiro passado. Ao longo dos últimos meses, sinais de variabilidade intrassazonal vêm interferindo nos padrões oceânicos e atmosféricos nas áreas tropicais ao redor do globo. Como resultado, estes mesmos padrões ora contribuem para ocorrência ora para a inibição das chuvas, especialmente sobre a Região Sudeste do Brasil.

A atuação mais ao norte da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) contribuiu para as chuvas abaixo da média entre o nordeste do Pará e o norte da Região Nordeste no decorrer do mês de fevereiro até meados de março de 2013. O posicionamento anômalo da ZCIT vem ocorrendo em resposta ao aquecimento das águas superficiais na região tropical do Atlântico Norte e ainda poderá comprometer o final do período chuvoso no norte da Região Nordeste. Outra razão para a escassez de chuva em grande parte das Regiões Norte, Nordeste e Sudeste do Brasil foi o deslocamento anômalo para oeste de sistemas típicos dos meses de verão. Contudo, este mesmo deslocamento contribuiu para o excesso de chuva em grande parte do Amazonas e Roraima e no norte do Pará e Amapá. As chuvas também excederam a média no norte do Paraná, com destaque para o acumulado mensal em Maringá (530 mm), que excedeu a média histórica em aproximadamente 371 mm (Fonte: INMET). Destacaram-se também os valores diários de precipitação registrados em Belém-PA (161,2 mm, no dia 13), Santa Vitória do Palmar-RS (151,6 mm, no dia 21) e Vera Gleba-Celeste-MT (155,1 mm, no dia 24).

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br.

Atualizado em 25/03/2013 16:48

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco