Tendência de condições climatológicas das chuvas para o leste do Nordeste

Cachoeira Paulista, 24 de maio de 2013


 A condição de ligeiro aquecimento das águas superficiais do Atlântico Sul, aliada ao escoamento dos ventos de leste, sugere o possível estabelecimento típico (climatológico) das chuvas para a faixa leste da Região Nordeste durante o período que inicia em junho e termina em agosto de 2013 (JJA/2013). Para esta área, assim como para a grande área central do Brasil, a previsão por consenso elaborada pelo CPTEC/INPE em conjunto com o INMET e a FUNCEME indica o padrão climatológico, com igual probabilidade de chuva para as três categorias (abaixo da normal, normal e acima da normal). Ressalta-se que o início deste trimestre corresponde ao período mais chuvoso na zona da mata nordestina. Entretanto, a evolução destas condições de águas mais aquecidas na região do Atlântico Tropical Sul, nas proximidades da Região Nordeste do Brasil, durante os próximos meses, será de extrema importância no sentido de confirmar essa tendência. O resultado desta previsão também sugere, para uma faixa central da Região Norte, 50% de probabilidade de ocorrência de chuvas na categoria abaixo da normal, 35% na categoria normal e 15% na categoria acima da normal, enquanto que, para o extremo norte dessa Região (que inclui os Estados de Roraima e Amapá), a previsão indica 35% de probabilidade de ocorrência de chuvas na categoria acima da normal, 40% na categoria normal e 25% na categoria abaixo da normal. Ainda segundo o conjunto de modelos que integram esta previsão, há 50% de probabilidade de ocorrência de chuvas na categoria abaixo da faixa normal para a Região Sul, seguida por 35% na categoria normal e 15% na categoria acima da faixa normal.

As temperaturas são previstas variando entre o padrão normal a ligeiramente acima da normal climatológica para os setores norte e nordeste do País, no decorrer do trimestre JJA/2013. Nas demais áreas, a previsão sugere a ocorrência de valores em torno da normal climatológica, destacando-se possíveis incursões de massas de ar frio que, em alguns períodos, podem causar acentuado declínio das temperaturas no centro-sul do Brasil. Também não se descarta a ocorrência de episódios de friagem no oeste da Região Centro-Oeste e sul da Região Norte.

Persistem condições de neutralidade em relação ao desenvolvimento do fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) nas áreas equatoriais e tropicais do Oceano Pacífico, assim como sinais de variabilidade intrassazonal que ainda poderão interferir na ocorrência de chuvas, especialmente sobre o leste da Região Nordeste, no decorrer deste próximo trimestre.

O destaque em abril de 2013 foi a mudança no padrão atmosférico que favoreceu a ocorrência de chuvas sobre o centro-sul do Brasil durante a primeira quinzena e o aumento das chuvas sobre as Regiões Norte e Nordeste do Brasil no decorrer da segunda quinzena.  É importante mencionar que o bloqueio atmosférico notado na segunda metade de abril favoreceu a escassez de chuvas em praticamente todo o centro-sul do continente sul-americano. Após o longo período de estiagem observado em toda a Região Nordeste, destacaram-se os acumulados diários de precipitação no sertão de Pernambuco (Triunfo: 102 mm, no dia 15), no oeste do Rio Grande do Norte (Apodi: 99,4 mm, no dia 20) e no interior do Maranhão (Bacabal: 109,2 mm, no dia 26). Destacaram-se, também, as chuvas diárias registradas em Manaus (117,4 mm e 140 mm, respectivamente nos dias 21 e 22) e nas cidades de Altamira-PA (127,4 mm, no dia 21) e Iauaretê-AM (115,8 mm, no dia 23), segundo dados do INMET.

Informações adicionais sobre as condições oceânicas e atmosféricas globais e a situação da chuva em todo o Brasil serão disponibilizadas no endereço http://infoclima1.cptec.inpe.br.

Atualizado em 31/05/2013 15:53

Proximo

INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco