Fenômenos Naturais
O Arco-Íris é um fenômeno natural que aparece devido à dispersão da luz solar quando é refratada nas gotículas de chuva presentes na atmosfera. Ele aparece sempre na direção oposta ao Sol o que indica também uma reflexão da luz solar nas gotículas de chuva. A reflexão na parte externa das gotas não tem efeito, já que a luz se espalha igualmente em todas as direções. O que realmente ocasiona o arco-íris é a reflexão na parte interna da gota de chuva.
Grupo de arcos concêntricos cujas cores vão de violeta ao vermelho, no arco-íris principal, o violeta está no interior e o vermelho no exterior; e no secundário, muito menos luminoso que o principal, o vermelho está no interior.
Aurora Boreal - As auroras boreais (luzes do norte) e as auroras austrais (luzes do sul) são lindas e dinâmicas exibições vistas no céu noturno nas latitudes norte e sul, próximo aos pólos.
A aurora é um fenômeno de grande escala, cercando todas as regiões polares, mas do chão, só podemos ver um pequeno pedaço do que realmente acontece. A maioria das auroras tem formas de tiras e cortinas. Conforme a atividade auroral aumenta, curvas se desenvolvem. As curvas e as extensões dependem do grau de atividade. Astronautas olhando para a região polar estão em uma posição muito melhor que aqueles que observam a aurora da terra.
Embora a aurora pareça se aproximar do chão, a luz está situada bem alta na atmosfera. A aurora mais baixa está a cerca de 100 quilômetros (equivalente a 62 milhas) do chão, enquanto a mais alta é de 4 vezes essa distância. Isso é muito mais alto que nuvens ou aviões.
Ciclones tropicais e ciclones extratropicais São ambos centro de baixa pressão. Nos tropicais a energia vem da evaporação do mar, e ocorre condensação em nuvens convectivas concentradas próximo ao centro. Nos extratropicais, há uma frente fria associada, os ventos são menos fortes, e a energia vem de contrastes térmicos horizontais, isto é, massa de ar frio próximo a uma massa de ar quente. Ciclones tropicais tem seus ventos mais fortes próximo a superfície, enquanto o outro tem os ventos fortes próximo à tropopausa. Ciclones tropicais têm duração de dias.
Os ciclones tropicais mais intensos foram registrados na Austrália em 1899 um ciclone tropical produziu uma maré de 13 metros. O tufão Forrest em setembro de 1983 aprofundou 100 mb, de 976 para 876, em apenas 24 horas. Estima-se que os ventos sustenidos subiram de 65 para 150 nós em 24 horas.
Efeito Estufa O termo refere-se ao modo como certos gases retém calor na atmosfera, mais ou menos como o vidro impede que o ar quente escape de uma estufa. O aumento desse efeito pela atividade humana – não o efeito em si, que é perfeitamente natural – preocupa os especialistas. A Terra, há 140 milhões de quilômetros de sua fonte de energia, o Sol, seria cerca de 15 graus mais fria se certos gases da atmosfera não retivessem calor. Em vez de uma temperatura anual de 15,5 graus centígrados, teríamos 18 graus negativos. Provavelmente, a existência de vida no planeta deve-se ao Efeito Estufa.
Geada é um fenômeno que ocorre em boa parte do mundo, mas tem diferentes conseqüências. Algumas regiões sofrem sérios danos na agricultura, como por exemplo o sul do Brasil, Uruguai, centro-norte da Argentina, sudeste dos Estados Unidos, algumas regiões da Austrália e sudeste da China, entre outros. As culturas de climas tropicais e subtropicais são as mais afetadas, como por exemplo o café e a laranja, que tem pouca resistência a baixa temperatura.
Granizo forma-se quando gotas de água, levadas pelas fortes correntes ascendentes, congelam, caem pela nuvem e são novamente capturadas na corrente ascendente. Uma camada adicional de água congela à volta da bola de gelo de cada vez que esta faz uma viagem ascendente pela nuvem. Eventualmente, o granizo torna-se pesado demais para ser de novo levado na ascenção, por isso cai para o chão. Grandes pedras de granizo, quando cortadas, mostram múltiplas camadas, indicando o número de viagens verticais que a pedra fez quando foi apanhada na célula convectiva.
Os Incêndios Naturais originam-se de fenômenos meteorológicos, como os raios, a ausência de chuva e o calor. Distinguem-se três tipos de incêndios florestais: os fogos de coroa, que afetam a copa das árvores; os fogos de superfície , que avançam sobre moitas, matagais e resíduos superficiais; os fogos de subsolo, que destroem o manto ou o húmus do bosque e as raízes das árvores. Entre os principais fatores que influem na extensão do incêndio estão as condições do clima, como a temperatura, a umidade e os ventos. Os incêndios não afetam apenas o solo e as árvores, mas muitas espécies de animais, que abandonam o lugar ou morrem, e também os homens responsáveis por seu combate.
Neve são cristais de gelo que se formam nas nuvens em que a temperatura está entre -20°C e -40°C. Para formar flocos de neve, os cristais se juntam enquanto caem e se tornam úmidos; então, congelam novamente. Só chegarão ao solo como neve se o ar estiver gelado em todo o percurso atmosfera abaixo. Se o ar estiver muito quente, os cristais podem evaporar tornando-se vapor de água outra vez ou derreter e cair como granizo ou chuva. Às vezes, pode nevar no alto de um arranha-céu enquanto apenas chove na rua abaixo dele.
O Nevoeiro é uma nuvem com a base próxima ou junto à superfície. Não há diferença fisica entre o nevoeiro e a nuvem, porque elas apresentam a mesma aparência e estrutura. A diferença essencial é o metodo de desenvolvimento e aonde a formação ocorre. Nuvens formam-se quando o ar ascende e resfria adiabaticamente. Nevoeiro forma-se quando o resfriamento do ar, ou a adição de vapor de água por evaporação, causam saturação. Nevoeiro é geralmente considerado um perigo da atmosfera. Quando o nevoreiro é leve, visibilidade é reduzida a 2 ou 3 quilômetros. Quando é denso, visibilidade pode ser reduzida a 12 metros ou menos, tornando transportação não somente difícil, mas também perigosa. Estações meteorológicas reportam nevoeiro somente quando a visibilidade é reduzida a 1 quilômetro ou menos.
Um Raio, relâmpago ou corisco é talvez a mais violenta manifestação da natureza. Numa fração de segundo, um raio pode produzir uma carga de energia cujos parâmetros chegam a atingir valores tão altos quanto: 125 milhões de volts / 200 mil ampères / 25 mil graus centígrados.
Embora nem sempre sejam alcançados tais valores, mesmo um raio menos potente ainda tem energia suficiente para matar, ferir, incendiar, quebrar estruturas, derrubar árvores e abrir buracos ou valas no chão.
Ao redor da Terra caem cerca de 100 raios por segundo. No Brasil, nas regiões Sudeste e Sul, a incidência é de 25 milhões de raios anualmente, sendo a maior quantidade, no período de dezembro a março, que corresponde à época das chuvas de verão.
Radiação Solar - O sol emite vários tipos de radiação. Toda radiação emitida pelo sol é chamada de radiação solar, esta é composta pela radiação infravermelha (IV), pela luz visível e pela radiação ultravioleta (UV). Apesar de existirem fontes artificiais de luz bem eficientes, o sol ainda é a maior fonte de luz natural para o nosso mundo. A radiação solar produz efeitos benéficos e efeitos danosos à pele. A sua ação está diretamente relacionada à quantidade de radiação, ou seja, ao tempo de exposição.
Os efeitos benéficos são principalmente a formação da vitamina D3, que fixa o cálcio nos ossos, combatendo algumas doenças ósseas (raquitismo, osteoporose). Quanto aos efeitos danosos, a pele humana pode sofrer severas agressões quando exposta ao sol, principalmente pela radiação ultravioleta que compõe o espectro solar.
Tempestade fortes ocorrem durante todo o ano, mas são mais freqüentes no verão - dezembro a março. Uma tempestade se caracteriza por uma intensa e por vezes prolongada chuva, acompanhada de ventos fortes, granizo, trovões e relâmpagos. Nem sempre todos estes elementos estão presentes. Mas o excesso de chuvas é o principal componente da tempestade.
Tempestade de Areia Conjunto de partículas de poeira ou de areia, fortemente elevadas do solo a grande altura, por um vento forte e turbulento. A parte anterior de uma tempestade de areia ou de poeira, pode apresentar o aspecto de uma gigantesca muralha (paredão de poeira ou de areia).
O Tornado é uma coluna ondulante de nuvens, tem diâmetros de centenas de metros e são produzidos por uma única tempestade convectiva, ele se desloca a uma velocidade de 30km/h a 60km/h. Ele ocorre com a chegada de frentes frias, em regiões onde o ar está mais quente e instável. Estima-se que a velocidade do vento dentro do funil possa atingir 450km/h ( o cálculo por meio de instrumentos é inviável, porque eles são destruídos pela força da tempestade ). Os tornados são os mais destruidores de todas as perturbações atmosféricas, mas a área afetada por eles é limitada. Os tornados mais intensos costumam acontecer no centro-oeste dos Estados Unidos e na Austrália.
Tromba D`água - fenômeno em tudo semelhante ao tornado, apenas que ocorre sobre uma superfície de água, como seja no mar ou num lago. Nestes casos, a sucção no centro da tempestade eleva para os ares a água da superfície. Uma tromba d`água em geral desaparece quando encontra terra.
Turbilhão - fenômeno também conhecido como remoinho, vórtice mais ou menos desenvolvido na atmósfera constituindo uma irregularidade local do vento. Todos os ventos próximos à superfície do solo contêm remoinhos, os quais em certos lugares produzem rajadas e amainamentos. O ar contendo numerosos remoinhos é chamado de turbulento. Eles podem ser tanto de areia, poeira ou vento.
Vendaval - Também recebe o nome de ventania e tem números 8,9 e 10 da escala Beaufort, com ventos aproximadamente variando de 28 a 55 nós ou de 52 a 102Km/h; fenômeno especialmente importante por seus efeitos: sobre a velocidade de vôo e os perigos que ocasionam às decolagens e pousos das aeronaves, derruba árvores, também produz danos consideráveis em habitações mal construídas, destelha muitas edificações, e outras coisas mais.
Vulcão e o CLima Global - as erupções vulcânicas causam o esfriamento da temperatura global? O dióxido de enxofre presente nos gases da erupção reagem com água na estratosfera e formam gotas de ácido sulfúrico (aerossol). Essas gotas refletem a luz do sol e diminuem a temperatura na superfície da Terra e contribuem para aumentar o "buraco" de ozônio. O efeito de resfriamento dura entre um a dois invernos.

Fenômenos Naturais não relacionados a Meteorológia
Terremotos - A camada mais superficial da Terra - a litosfera - divide-se em partes menores chamadas placas tectônicas, que se movimentam lentamente, ocasionando um contínuo processo de esforço e deformação nas grandes massas de rocha. Quando o esforço é grande e supera o limite de resistência da rocha, esta se rompe - originando uma falha geológica - e acontece o terremoto. Parte da energia acumulada é então liberada sob a forma de ondas elásticas, que podem se propagar em todas as direções, fazendo o terreno vibrar intensamente. Esse processo é o causador da maioria dos terremotos. Normalmente, a ruptura das rochas só acontece em profundidade. Nos sismos menores é comum o terreno se deslocar somente alguns centímetros ao longo da falha geológica. Portanto, a ruptura da rocha é o mecanismo pelo qual o terremoto é produzido.
Tsunamis vem de duas palavras japonesas, tsu que significa porto, e nami, que significa onda. Elas se formam por terremoto, erupção vulcânica, ou acomodação da superfície da terra sobre o Oceano. Ocorre um abrupto movimento, e como resultado uma enorme quantidade de água é deslocada para cima, ou para baixo, dando origem a uma onda. Tsunamis não são facilmente identificados em mar aberto, pois sua altura é relativamente baixa, em torno de 1 metro. Porém, viajam milhares de quilômetros, e quando alcançam uma região costeira, a altura se eleva em função da baixa profundidade, e podem atingir 30 metros facilmente. O maior Tsunami registrado ocorreu em 1958, no Alaska, quando uma imensa pedra de gelo desmoronou sobre o mar, e originou uma onda de 500 m. As regiões costeiras mais atingidas por Tsunamis estão na costa oeste da Ásia, particularmente o Japão, que fica exposto ao Pacifico. Os Tsunamis formados no Pacifico viajam milhares de quilômetros, sem encontrar qualquer obstáculo que lhes roube energia antes de atingirem o Japão.
Fonte de Informação: Glossário de Termos Técnicos
Coleção Aeroespacial Tomo I
Editora: Traço Editora
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright 2016 CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco